quinta-feira, 13 de maio de 2010

DEBATES MOSTRAM HABILIDADES POLÍTICAS E ADMINISTRATIVAS DA PROFESSORA VANIA MEDEIROS




A Comissão Eleitoral Central do processo sucessório para a escolha do primeiro Reitor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB) coordenou, ontem (12), nos Campi de Cajazeiras, Sousa e Patos, a primeira bateria de debates entre os dois candidatos que concorrem ao pleito: o Reitor João Batista de Oliveria, que pretende se reeleger, e a professora Vania Medeiros, na faixa da oposição. Os debates que duraram em torno de duas horas cada, contaram com a participação de estudantes, técnicos e professores da Instituição.

A professora Vania Medeiros superou as expectativas da comunidade e se consolidou, efetivamente, como uma nova liderança política no IFPB. Vania garantiu que sua primeira iniciativa como Reitora será realizar  consultas para escolha dos dirigentes dos novos Campi da Instituição. A candidata também prometeu que dará autonomia orçamentária, administrativa e pedagógica a todas as Unidades da Instituição, viabilizando o funcionamento da Rede de Educação Profissional e Tecnológica na Paraíba. “Ninguém precisará ficar subordinado à administração central em João Pessoa, tendo suas necessidades atendidas como favores”, resumiu a candidata.

O próximo reitor (a) do IFPB vai administrar um orçamento de mais de 96 milhões de reais no próximo ano. Esses recursos, apesar da autonomia orçamentária já aprovada no regimento interno da Instituição, têm sua execução centralizada na Pró-Reitoria Administrativa.

Cajazeiras

No Campus de Cajazeiras, a tônica do debate entre os candidatos e a comunidade girou em torno da falta de uma política de assistência estudantil consistente, principalmente no que diz respeito à precariedade das instalações físicas e manutenção das casas de apoio, a falta de uma política de capacitação para servidores, carência de professores e laboratórios suficientes para as atividades pedagógicas na instituição. Todos esses problemas estão contemplados na carta programa da chapa Por uma Educação em Rede, da professora Vania Medeiros.

Uma questão bastante polêmica na área da administração pública, que veio à tona do debate em Cajazeiras, foi o problema das relações interpessoais. Nesse sentido, a professora Vania garantiu que implantará políticas de recursos humanos para sanar todos os problemas da falta de motivação, angústia e outros sofrimentos que, atualmente, afetam os servidores do IFPB. “Minimizar as potencialidades e não dar a devida atenção aos servidores e estudantes pode ser considerado assédio moral e não permitirei que isto aconteça na minha gestão”, assumiu a professora Vania.

Os candidatos tiveram a oportunidade de apresentar suas convicções sobre os temas da transparência e relações interinstitucionais. Vania afirmou que entende por transparência administrativa a construção coletiva das políticas institucionais, já com relação ao problema das relações interinstitucionais, a candidata garantiu que vai possibilitar as parcerias com setores produtivos e institucionais com muita criatividade. “Essa política será implementada a partir de ações acadêmicas, a exemplo da realização de eventos e de projetos de pesquisa e extensão”.

Campus de Sousa

No Campus de Sousa, a tônica principal do debate girou em torno da extensão e integração efetiva da ESAF à Rede do IFPB. Nesse sentido, a professora Vania Medeiros disse que vai revisar a política de editais de pesquisa e extensão com o objetivo de beneficiar essa tradição do campus de Sousa. “A extensão pode promover a mediação nas relações de humanização da educação, e isso Sousa poderá ensinar aos demais campi da Instituição”, assinalou ela.

A candidata disse que o principal patrimônio da instituição são os seus servidores e que eles precisam ser valorizados com uma política de capacitação adequada para inseri-los, efetivamente, nos processos institucionais, viabilizando a convivência plena através da melhoria das relações interpessoais. A candidata teve a oportunidade de apresentar a sua visão do que é ter ‘zelo’ pela instituição que, segundo ela, é respeitar os pares, investir na consolidação de novas lideranças e confiar nas habilidades dos que integram a comunidade, além de olhar pelos estudantes.

Campus de Patos

No campus de Patos, a professora Vania Medeiros, candidata à Reitoria do IFPB, voltou a garantir consultas para escolha do diretor dos novos Campi da instituição logo no início da sua gestão. Vania lamentou que as obras de construção do Campus estivessem atrasadas pela falta de visibilidade técnica do projeto. Ela ficou solidária aos estudantes que têm de atravessar toda a cidade para chegar à escola, e não dipõem de transporte público. A candidata garantiu que se eleita fará parceria com a Prefeitura Municipal para dar encaminhamento aos problemas.

Vania foi bastante enfática na defesa da autonomia para o campus de Patos que, segundo ela, não precisa ficar solicitando favores à Reitoria para ter seus direitos atendidos. A candidata mostrou a viabilidade de inserir o Campus na Rede de Educação Tecnológica e melhorar a qualidade do ensino e das relações interinstitucionais através de projetos de pesquisa e extensão.

Em Patos, Vania teve a oportunidade de criticar o processo de expansão do ponto de vista pedagógico, mostrando que havia outros cursos mais adequados para aquela unidade se tivessem respeitado as vocações econômicas da região, que é um pólo calçadista da Paraíba. “Na minha gestão teremos que rever alguns aspectos desses processos da expansão”, destacou.

Participação Oficial

A participação do candidato oficial da Instituição, o Reitor João Batista de Oliveira, que pleiteia a reeleição para a função, foi considerada ética e pedagógica. Como ele está à frente dos processos administrativos, teve a oportunidade de dar transparência a sua gestão, o que ainda não tinha sido feito, já que tem unidades que o Reitor não visita há mais de um ano, como é o caso da Unidade de Aparecida, ligada administrativamente ao Campus de Sousa.

O professor João Batista foi enfático em defender seu estilo de gestão de forma centralizada e legalista negando a possibilidade de eleições diretas para escolha dos gestores dos novos Campi em decorrência de uma portaria ministerial que normatiza o procedimento. Ele alegou que todas as dificuldades enfrentadas pela sua gestão, a exemplo do atraso nas obras da expansão  são de ordem técnicas e que podem ser superadas.

O Reitor João Batista conseguiu dar visibilidade à parte positiva da sua gestão apresentando as políticas públicas do Programa de Desenvolvimento da Educação, do Governo Federal, de forma bastante concisa tentando convencer os segmentos institucionais a reelegê-lo. O reitor também se referiu ao programa de contratação de novos servidores e aos projetos de inclusão social como se fossem iniciativas próprias da atual gestão do IFPB.

Os mais argutos perceberam, nessa primeira bateria de debates, que a professora Vania Medeiros, mesmo sem ter ocupado funções administrativas na Instituição, está conseguindo dominar toda a temática processual da gestão da educação profissional e tecnológica graças ao seu intenso trabalho de pesquisa documental e bibliográfica, e dos contatos que tem mantido cotidianamente na instituição.

Os próximos debates acontecerão nos Campi de Campina Grande e Picuí, na terça-feira (18), às 8h30min e 19 horas, respectivamente. No Campus de João Pessoa, o debate será no dia 19, às 8h30min.

2 comentários:

Rômulo Gondim disse...

Assisti os três dabates - Cajazeiras, Sousa e Patos - e sem dúvidas a professora Vânia Medeiros está preparada para assumir a Reitoria do IFPB. Parabéns professora.

Anônimo disse...

Já tem meu voto ! Merece ganhar *--*
Aluna no IF Campus Campina Grande